terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Radovan Ivsic: dois poemas



BRIONI
Para Annie

Os cervos são borboletas
as borboletas  são peixes
os peixes são claridade
a claridade é morte
a morte é laranja
a laranja é vulcão
o vulcão é feno
o feno é elefante
o elefante é afogamento
o afogamento é riso
o riso é montanha
a montanha é anel
o anel é solidão
a solidão é areia
a areia é roda
a roda é terremoto
o terremoto é cílios
os cílios são cascata
a cascata é bigorna
a bigorna é lembranças
as lembranças são vermelho
o vermelho é chicote
o chicote é fim
o fim é mel
o mel é nuvem
a nuvem é o infinito
o infinito é infinito



ECO DE BRIONI
Para Annie ainda

O carvão como a aurora
a aurora como o turbilhão
a turbilhão como o fogo
o fogo como a lágrima
a lágrima como o crescimento
o crescimento como a areia
a areia como a velocidade
a velocidade como a ferida
a ferida como a luz
a luz como o grito
o grito como o camaleão
o camaleão como a dor
a dor como o ar
o ar como o ouro
o ouro como a pedra
a pedra como o pensamento
o pensamento como o abismo
o abismo como o garrote
o garrote como o ovo
o ovo como a corrida
a corrida como a montanha
a montanha como o nado
o nado como o coração
o coração como o silêncio
o silêncio como o silêncio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...